Conecte-se conosco
Publicidade Publicidade

Lula compra antipsicóticos e antidepressivos para a Presidência

Publicado às

em

em

Lula compra antipsicóticos e antidepressivos para a Presidência
Imagem: Divulgação / Reprodução

 

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva formalizou a compra de uma série de medicamentos para abastecer o posto médico da Presidência da República e para uso nas viagens presidenciais. Entre os itens adquiridos, estão antipsicóticos, antidepressivos e remédios para insônia e artrite, que incluem medicamentos de tarja preta.

 

A Secretaria de Administração da Presidência registrou a compra de diversos medicamentos por meio de duas atas de registro de preços. O primeiro edital, com orçamento de R$ 106,6 mil, prevê a compra de 69 itens, incluindo:
- 200 ampolas de 2ml de diazepam 5mg/ml
- 50 ampolas de 2ml do anticonvulsivo e sedativo fenobarbital sódico
- 300 comprimidos de alprazolam de 1mg
- 2 mil comprimidos de Valaciclovir de 500mg para tratamento de herpes


Além desses, serão adquiridos antibióticos, anti-inflamatórios, antialérgicos, medicamentos para hipertensão arterial e analgésicos. Também estão inclusos medicamentos de uso específico como atropina, clopidogrel, colagenase e etomidato.


O segundo edital, com orçamento de R$ 68 mil, lista 62 itens, incluindo:
- 240 comprimidos de quetiapina de 25mg
- 100 ampolas de 1ml de haloperidol 5mg/ml
- 200 ampolas de 3ml de midazolam 5mg/ml
- 150 comprimidos de zolpidem de 5mg

 

Os medicamentos adquiridos serão destinados à farmácia da Coordenação de Saúde (Cosau) da Presidência da República, sendo utilizados no posto médico da Presidência e nas "malas de viagens presidenciais". A compra é justificada pela necessidade de garantir o atendimento aos pacientes da Cosau, evitando a transferência de pacientes para outras unidades de saúde, o que poderia gerar altos custos para a Presidência.

 

Em 2021, durante o governo de Jair Bolsonaro, o Planalto também abriu licitação para compra de 60 itens de medicamentos após a internação do então presidente para tratamento de uma obstrução intestinal. Naquela ocasião, a compra incluiu 1.662 ampolas de diazepam, beneficiando a Cosau, o Hospital das Forças Armadas e o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into).


Publicidade

Publicidade Publicidade

Leia Também