..."/> Max Russi dá seqüência a audiência publica "Trabalho Igual, Salário Igual” - MT Fatos
Carregando...

ALMT - TODA VIDA IMPORTA PUBLICIDADE
[ANUNCIE] Interna Lateral Grande 1 PUBLICIDADE
Facebook
$PUB_interna_grande_2$
Newsletter

FIQUE POR DENTRO!

Cadastre-se para receber boletins com as novidades do nosso site em seu email gratuitamente.

É só informar seu email no campo abaixo e clicar em “Assinar”.

[ANUNCIE] Interna Lateral Pequena PUBLICIDADE
AS ÚLTIMAS DE Cidades
A igualdade  entre mulheres e homens, no mercado de trabalho, foi debatida na audiência pública "Trabalho Igual, Salário Igual", realizada nessa segunda-fei ...
Cidades 28 de maio 2019 22h:25
Max Russi dá seqüência a audiência publica "Trabalho Igual, Salário Igual”

A igualdade  entre mulheres e homens, no mercado de trabalho, foi debatida na audiência pública "Trabalho Igual, Salário Igual", realizada nessa segunda-feira (27), no auditório Deputado Milton Figueiredo da Assembleia Legislativa. O evento foi proposto pelo primeiro-secretário, deputado Max Russi (PSB), com a participação efetiva da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais - BPW (Business Profissional Women), Cuiabá.

Realizadas as palestras e debates, junto ao corpo técnico, 6 propostas foram encaminhadas, sendo elas: Criação de um Fórum Permanente para discutir igualdade salarial; Discussão nas escolas com o projeto Trabalho, Justiça e Cidadania dos Jovens, com o apoio da Assembleia e BPW; Projeto de Lei para isenção ou incentivo fiscal para empresas que cumpram metas de empregabilidade de mulheres; Estudo de ações para tornar a fiscalização contra a desigualdade salarial mais, entre os gêneros,  mais efetiva e Outubro Rosa do Feminicídio; Capacitação de estudantes das faculdades de Propaganda e Marketing e construção de um Fórum Permanente, para discutir ações efetivas de combate a desigualdade de gênero.

Ao final da audiência, o deputado Max Russi entregou moções de aplausos a todos os envolvidos, em reconhecimento as políticas públicas sociais desempenhadas em conjunto. 

"Um ato singelo, mas que leva incentivo a todo o trabalho social feito por essas pessoas. Hoje pudemos debater aqui as diretrizes para uma caminhada mais efetiva e resolutiva, quanto a desigualdade salarial de gênero em nosso estado", analisou o parlamentar.

Estiveram presentes a diretora jurídica da BPW-Cuiabá, Claudia Aquino, o juiz federal do Trabalho da 23ª Região João Alberto Cezário, juíza federal do Trabalho da 23ª Região Graziele Cabral Braga de Lima, procurador Regional do Ministério Público do Trabalho, Alessandro Santos de Miranda, superintendente Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, Eduardo de Souza Maria, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá  (ACC) e a procuradora do Estado  e a presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher Glaucia Anne Kelly.

"Trabalho Igual, Salário Igual"  teve o intuito de estabelecer  a pauta da igualdade salarial entre os gêneros e também contou com a participação da Associação Dos Revendedores Da Venda Direta De Mato Grosso (Arvend), VG Mais Ação, magistrados, representantes do Judiciário e da BPW-Cuiabá, além da presidente interina da Casa de Leis Janaína Riva (MDB) e do deputado Federal Doutor Leonardo Albuquerque (SDD).

Fundada em 2001 pela jornalista e empresária Sueli Batista, a BPW Cuiabá tem trabalhado na missão de agregar mulheres de negócios e profissionais, orientando e coordenando seu desenvolvimento pleno nas esferas dos poderes público e de mercado. Em um olhar lançado sobre 12 anos de história, através de projetos e ações, tem estimulado cenários propícios a mulheres no ramo do empreendimento.

Estatísticas 

O deputado Max Russi ressaltou a importância da realização da audiência pública "Trabalho Igual, Salário Igual"  e pontuou atuais estatísticas. Uma delas foi em relação a queda na desigualdade de salários entre 2012 e 2018, onde pesquisa aponta que mulheres ainda ganham 20,5% a menos que os homens, isso conforme o dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Russi lembrou ainda que, de acordo com o Ministério do Trabalho,  no Brasil houve crescimento da ocupação feminina em postos formais de trabalho, de 40,8% em 2007 para 44% em 2016, ou seja, um número não expressivo.

"É tempo de reafirmarmos essa luta contra a desigualdade salarial e, para isso, é necessária essa união. Vamos fazer esses encaminhamentos e buscar aplicar essas diretrizes" assegurou.

Foto: Assessoria



 

 

vídeo
galeria
0
mais notícias
Nenhum comentário foi publicado.
Escreva seu comentário abaixo.
  • João Oliveira, há 9 horas atrás
    Quisque purus libero, sagittis sit amet posuere a, hendrerit scelerisque odio. Nam tincidunt, dolor nec vehicula imperdiet, ligula massa pharetra turpis, in mattis est lacus nec felis. Nam cursus libero nec odio semper eu tincidunt mauris ullamcorper. Donec porttitor mi eu libero bibendum iaculis. Ut tempor est vel nibh suscipit in sodales risus placerat. Responder
    João Oliveira, há 9 horas atrás
    Quisque purus libero, sagittis sit amet posuere a, hendrerit scelerisque odio. Nam tincidunt, dolor nec vehicula imperdiet, ligula massa pharetra turpis, in mattis est lacus nec felis. Nam cursus libero nec odio semper eu tincidunt mauris ullamcorper. Donec porttitor mi eu libero bibendum iaculis. Ut tempor est vel nibh suscipit in sodales risus placerat. Responder
COMENTÁRIOS (0)
Próximo » « Anterior
Próximo » « Anterior
Adicionar comentário
  • Seu nome
  • Seu e-mail
  • Website
Incorreto. Por favor, tente novamente.
Digite o código acima: Digite os números que você ouve:
  • Seu comentário
Escrever comentário
- Desculpe, ocorreu um erro inesperado.
Recemos seu comentário por aqui.
Obrigado por participar :D
2012 © mt fatos - Todos os direitos reservados.
Avenida Coroados, 433 - Centro - Jaciara/MT - 78820-000
contato@mtfatos.com.br - (66) 3461-1849
Desenvolvido por artedinâmica
2012 © mt fatos